5 Mitos do Microlearning

Josh Bersin descreve microlearning como “inovação surpreendente”, explicando que “as plataformas de microaprendizagem agora permitem gerenciar a proliferação de vídeo, avaliação e outros objetos de conteúdo pequeno com ferramentas para curadoria, rastreamento, recomendações e aprendizado prescritivo baseado em IA”. O Microlearning oferece muitos benefícios, mas está sujeito a grandes equívocos.

Trabalhando com muitos profissionais de T&D ao longo dos anos, encontrei cinco mitos comuns em torno do microlearning:

Mito 1: Fornecer o microlearning é apenas uma questão de fragmentar o conteúdo.

Claro, microlearning é oferecido em pequenas porções de conteúdo. Mas esses fragmentos devem ser interessantes, eficazes e relevantes para a atividade de trabalho do aluno: seu design deve garantir que o objetivo de aprendizagem seja atingido ao final de cada dose de aprendizado. Quanto mais personalizada for a nossa atividade de micro aprendizagem, mais eficaz será para os alunos.

Mito 2: O Microlearning só é adequada para um sistema de aprendizagem menos sofisticado e baseada em fatos, como saúde e segurança, ou para conformidade e controle de responsabilidades de trabalho (compliance).

Essa é uma preocupação que Isaac Tolpin, um especialista global em microlearning e co-fundador da ConveYour.com, também abordou durante uma masterclass exclusiva oferecida pela Speexx. Veja a masterclass completa aqui ou inscreva-se para a próxima sessão!

Não há dúvida que dar aos funcionários acesso a informações de aprendizado conforme necessário no trabalho pode realmente ajudá-los quando se trata de preencher um formulário específico ou lembrá-los de como realizar uma tarefa raramente executada, por exemplo. Além disso, no entanto, o microlearning é uma boa maneira de desenvolver um conhecimento mais profundo de soft skills de alto nível e reforçar o aprendizado já realizado. Há uma percepção errônea de que o microlearning não é apropriado para aprendizagem complexa de linguagem e comunicação, mas, pelo contrário, é uma excelente maneira de fazer com que os alunos pratiquem, construam e reforcem suas habilidades lingüísticas.

O Microlearning oferece aprendizado pequena quantidades. Os alunos podem acessar o microlearning conforme necessário, no trabalho. Além disso, o microlearning é muito adequado em dispositivos móveis, permitindo que os alunos acessem o aprendizado a qualquer momento em qualquer lugar.

Saiba mais sobre como criar uma experiência de aprendizado envolvente fazendo o download deste eBook.

Download now

Mito 3: o Microlearning substitui o e-learning tradicional.

Na verdade, o microlearning funciona como uma forma de melhorar e reforçar o e-learning tradicional ou até mesmo o aprendizado baseado em sala de aula. É mais eficaz como parte de uma entrega de aprendizado combinado que incorpora coaching e orientação e aprendizado no trabalho, além da entrega de aprendizado tradicional. O microlearning que é enviado ao aprendiz em seu dispositivo móvel e não requer um login complicado, pode ser uma maneira realmente eficaz de incorporar o aprendizado de longo prazo.

Mito 4: O Microlearning não pode ser avaliado corretamente.

É tentador para os profissionais de aprendizado ver apenas o microlearning como uma cereja no topo do aprendizado corporativo. O Microlearning é tão breve que é difícil fazer uma avaliação adequada do progresso do aluno, certo? De fato, o microlearning pode e deve fazer parte de um programa de aprendizado estruturado. Embora haja espaço para o microlearning discreto baseado em tarefas, o microlearning também é um componente-chave de um programa de entrega de treinamento estruturado que avalia o progresso do aluno e move efetivamente ao longo da jornada de aprendizagem.

O Microlearning fornecido para interagir com dispositivos móveis se funciona com a gamificação e aprendizagem social, usando técnicas de jogos de computador, como metas alcançáveis, loops de feedback e uma comunidade de concorrentes para atrair jogadores. O potencial para usar formas atraentes de avaliar o progresso do aluno é sem dúvida maior do que para qualquer forma anterior de aprendizagem.

Mito 5: Microlearning é apenas a mais recente forma de entrega de aprendizado corporativo.

O microlearning verdadeiro e bem projetado pode ser uma maneira altamente eficaz de fornecer treinamento obrigatório e de conformidade, atualizações de produtos ou serviços. No entanto, a realidade é que os alunos também complementarão esse tipo de microaprendizado, transmitido do departamento de desenvolvimento, com seu próprio aprendizado privado em microlearning.

Quando um funcionário precisa descobrir como fazer algo com pressa, é provável que ele acesse um vídeo do YouTube. Se eles estão interessados em expandir seus conhecimentos sobre um tópico, eles podem ouvir uma palestra no TED. O desafio para os profissionais de aprendizagem tem sido acompanhar essa aprendizagem informal, certificando-se de que ela é apropriada e que está registrada. No entanto, este é um desafio que está sendo cumprido com sucesso e a Speexx agora tem muita experiência de trabalhar com profissionais de aprendizagem para capturar essas informações.

Use it or lose it

Segundo o psicólogo alemão Hermann Ebbinghaus, os aprendizes retêm cerca de 75% do que acabaram de aprender. Um mês depois, se não houver uma revisão do aprendizado, os aprendizes retêm menos de 10% desse aprendizado. Ebbinghaus chamou isso de “curva do esquecimento”. O Microlearning tem um papel importante a desempenhar na abordagem da curva do esquecimento. A repetição do aprendizado regularmente espaçada ajudará os alunos a lembrar mais de 80% do que aprenderam um mês depois.

O Microlearning tem um impacto importante no retorno do investimento em aprendizagem e desenvolvimento. Quando se trata de soft skills como linguagem e comunicação, os funcionários que revisitam seu aprendizado ao longo da curva do esquecimento serão aqueles que incorporarem com sucesso as habilidades que o negócio precisa para o futuro.

Supere a curva do esquecimento com a Speexx!

About the Author: